Os maratonistas de livros estão em extinção. Agora é tudo via streaming?

Tempo de leitura: 7 minutos

Eu gosto dos livros. Para falar a verdade, amo, de paixão.

De uns anos para cá observo atentamente uma mudança no consumo de informação, principalmente no que diz respeito à leitura.

Uma invasão de vídeos sob demanda, distribuídos por streaming, tomou conta das telas e das mentes das pessoas. Normal?

Na verdade não há limites para a expansão de conteúdo, principalmente quando falamos de  Internet.

O que me entristece é saber que as pessoas estão deixando de lado a leitura dos livros, sim, os livros, as sólidas fontes de conhecimento que transformam vidas.

Hoje tudo é muito sintetizado e a Internet, você sabe, se não for feita uma boa pesquisa fornecerá a você um conhecimento muito vago.

Se você sugerir a alguém que está passando por sérios problemas familiares, financeiros, acadêmicos, para que leia um bom livro verá, provavelmente, o semblante de quem foi convidado a ir para guerra.

Por outro lado, se você disser a essa mesma pessoa que saiu uma nova série na Netflix, um sorriso de entusiasmo se abrirá.

Veja, não estou dizendo que acompanhar séries não seja legal. Eu mesmo já assisti duas: a primeira temporada de Lost e a primeira de Under the Dome. Sinceramente não tive paciência de continuar assistindo por uma razão bem simples: sou escritor e por isso sei que um bom roteirista pode arrastar uma série por anos e anos…

Quanto você está em uma roda de amigos, quantos deles lhe avisam que esta ou aquela série vai estrear uma nova temporada? Ou então enviam mensagens dizendo que certo filme é ótimo e etc.

Muitas vezes, não é?

Conheço pessoas que curtem todo tipo de conteúdo em sites de streaming, mas a maioria deles sequer sabem a origem daquelas histórias, não têm a menor curiosidade de saber quem são os autores. Ignoram completamente o fato da obra cinematográfica ter sido escrita e publicada em forma de livro.

O que estou querendo dizer é que as soluções que a leitura de um livro poderia trazer é exatamente o que pode gerar receita para pagar a Netflix. Ou seja, entre ler um livro e acompanhar uma série, prefira o primeiro.

A leitura é essencial não só na manutenção e preservação de suas capacidades cognitivas, mas também na conservação de estados mentais – mindset – e de recursos como a motivação, entusiasmo e atitude.

Ninguém permanece o mesmo depois de ler um bom livro.

Acredito que você já saiba de tudo isso, certo?

Agora vem a boa notícia:

A pesquisa Retratos da Leitura do Brasil, do Instituto Pró-Livro, revela um aumento no número de leitores e afirma que 56% da população do país lê ao menos um livro a cada 3 meses – respeitando os critérios do Instituto para definir quem é um leitor – mesmo que seja em partes.

A maioria respondeu que pratica o hábito da leitura atualmente apenas por gostar de ler e também pela busca de conhecimento e atualização cultural. Bingo!

A pesquisa possui uma definição própria do que é ser um leitor:

» Leitor é aquele que leu, inteiro ou em partes, pelo menos 1 livro nos últimos 3 meses;

» Não leitor é aquele que declarou não ter lido nenhum livro recentemente, mesmo que o tenha feito nos últimos 12 meses.

Sendo assim, nota-se que a quantidade de livros para definir um leitor é mínima, concorda?

E diante de uma concorrência tão acirrada com outros meios, essa definição de leitor e não leitor se torna pequena, para não dizer insignificante.

Já são mais de 100 milhões de pessoas que assinam serviços de streaming pelo mundo e a líder do segmento – Netflix – não para de crescer, uma expansão surpreendente. Detalhe: metade destes assinantes não estão em solo americano.

E você, leitor, quais sãos suas preferências na hora de consumir informação?

Será que seus hábitos ajudaram a mudar os números das vendas de livros no Brasil mesmo em tempos tão hi-tech e também em meio a popularização dos eBooks aumentando a cada minuto na Internet?

Finalmente, depois de quatro anos negativos, o país registrou uma alta na comercialização de livros.

Foram 42 milhões de exemplares vendidos em 2017.

Muito boa essa notícia, não é verdade?

Se você sente que precisa entrar urgente para esse time de pessoas que estão consumindo mais literatura vou tentar lhe ajudar agora com algumas sugestões.

OS NÚMEROS PODEM INSPIRAR

Se animou com os resultados das vendas de livros no Brasil?

Então é hora de dar um upgrade em seus hábitos de leitura!

Um dos três gêneros mais vendidos no ano passado foi de Desenvolvimento Pessoal e nesse quesito posso sugerir os livros do autor Renato Alves, que trata com responsabilidade e clareza assuntos como memorização, leitura dinâmica, dicas preciosas de como manter a memória jovem e desenvolver foco e concentração na rotina diária. Muito bacana mesmo.

Estabeleça uma meta de leitura. Pode ser mensal, trimestral ou anual. Não importa. O que se deve levar em consideração aqui é o tempo que você tem para se dedicar ao hábito de ler e qual a duração dessa atividade.

Conhecer seus limites, lhe ajudará na concepção de um plano de leitura que caiba dentro da rotina, sem atrapalhar.

ESCALE SUAS PRIORIDADES

Se você também é um dos milhões de assinantes que maratonam conteúdos online e como tal às vezes se vê perdido no catálogo do site, navegando sem rumo, é hora de dar uma oportunidade para os livros.

Se têm várias histórias que você já assistiu em forma de filmes e séries, por que não ler o livro que as originou? Saiba que muitas delas são apenas adaptações.

Surpreenda-se com o original. Vai por mim.

Garanto que quando surgir o assunto na próxima roda de amigos, seus argumentos serão ouvidos e suas indicações apreciadas.

Então ao invés de perguntar

O que vou assistir agora?”

pergunte

O que vou ler agora?

A TECNOLOGIA ESTÁ AÍ PARA ISSO

Não gosta de ficar folheando páginas e páginas de papel?

Eu particularmente adoro. O cheiro, a textura, enfim, a sensação é ótima.

Bom, caso não aprecie isso tudo, recorra aos eBooks. Eles não são unanimidade entre os leitores, mas se transformaram em opção indispensável para quem quer praticidade e não abre mão da tecnologia.

Até um leitor digital para livros, revistas e outros tipos de publicação o mercado já disponibiliza. É o Kindle, portátil e simples de usar, faz sucesso entre muitos leitores.

AMIGO É AQUELE QUE INDICA UM BOM LIVRO

Você já ficou bravo com algum amigo que indicou um filme ou série que não lhe agradou?

Pois com os livros isso pode ser diferente. Eles têm o poder de transformar.

Acredite: você nunca mais será o mesmo depois de ler um bom livro ou conhecer a origem dos personagens daquele filme que adorou.

Para dar mais ênfase e de quebra fazer mais amigos, participe de um clube de leitura. Mantenha contato com os leitores. Faz muito bem tê-los por perto.  

Bom, espero ter mostrado aqui a importância que o livro tem e sempre terá, mesmo com o iminente domínio das telas de alta resolução e suas conectividades.

Os livros também são dignos de sua atenção.

Aperte o play da leitura e divirta-se!

Além de estimular seu cérebro, rejuvenesce. Quer coisa melhor?

Vou ficando por aqui.

Até breve!

Veja também este artigo sobre os 7 livros capazes de fazer você se apaixonar por leitura

(Visited 164 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *